Quinta-feira, 20 de Dezembro de 2007

Festival Lisboa Mistura

Existem razões infindáveis para que este evento, que se realizou entre 28 de Novembro e 30 de Novembro do ano corrente, tenha como nome Lisboa Mistura. Em primeiro lugar, este evento dá-se em Lisboa e depois integra várias culturas, dai ter-se juntado o nome Mistura. Este projecto abrange não só, o lado cultural mas também, o lado social das várias culturas participantes no festival.
É sem dúvida, dos projectos que melhor se inserem no nosso, podemos mesmo, ir mais além e afimar que tem o mesmo objectivo do nosso : “Lisboa Mistura foi pensado como um lugar de observação e de acção na cidade,
para compreender melhor os possíveis caminhos abertos pelas misturas,
simples ou complexas, que a toda a hora se concretizam. Surge da necessidade
de criar um lugar de intervenção intercultural onde a criatividade humana é
assumida como um poderoso instrumento de comunicação, de união e de
clarificação das nossas diferenças.”
É para projectos do género que nos prentendemos despertar, não só, a sociedade, mas também as entidades reguladoras do local onde habitamus. Não poderemos pensar num futuro mais similar, mais respeitador caso não adoptemos as novas culturas com o respeito que lhes devemos.  Estas subculturas é que fazem de Lisboa uma cidade multicultural e mais rica, em que projectos como este nos podem fazer compreender melhor o que se passa no mundo da globalização em que vivemos.
       ***Cartaz***

 

*Quinta-feira
29 Novembro*

18h00 - Jardim de Inverno
*Um novo olhar sobre Lisboa*
debate

20h00 - Sala Principal
*Monte Lunai*
música e dança
tradicionais da Europa

*Jon Luz & Filipa Pais*
música de Cabo Verde e de Portugal

22h00- Sala Principal
*À Noite o Sol
(Negócios Estrangeiros)
*teatro, música, vídeo e literatura
A partir de textos de Nuno
Artur Silva e José Luis Peixoto
Encenação: António Pires
Direcção musical: Carlos Martins
Desenho digital em tempo real:
António Jorge Gonçalves
Com: Dmitry Bogomolov, Gina
Tocchetto,Mitó Mendes, D'Mars,
Dj Ride, Armando Teixeira, Alexandre
Frazão, André Fernandes, João Moreira,
entre outros.
ESPECTÁCULO APOIADO PELA COOPERAÇÃO PORTUGUESA/IPAD

23h00- Jardim de Inverno
*Afro Blue DJs
Set especial "Lx Mix"*
Com Johnny, João Gomes,
Lady G Brown e Lucky.


*Sexta-feira
30 Novembro*

18h00 - Jardim de Inverno
*Batoto Yetu*
dança e música africanas

18h45- Jardim de Inverno
*Novos Sons
*resultado de workshops com
Cool Hipnoise e Programa Escolhas/
ACIDI – Estado do Mundo/FCG
Flowsan (Alto Lumiar/Cruz vermelha)
Mozifem (Bairro do Condado)
100% BCV (Alto Lumiar/Cruz vermelha)
Ritchaz & Keke (Outurela/Portela )
N'Gapas (Monte Abraão)
Kotalume (Quinta da Serra)

20h00 - Sala Principal
*Kalaf e Nástio Mosquito*
improviso poético do concreto à sanzala
*Kumpania Algazarra*
sonoridades que cruzam influências
da música de leste, árabe, afro com ska,
polka, swing, etc.
*Lil'John e a Orquestra d'O Estado do Mundo
*espectáculo criado para o programa
Estado do Mundo/FCG

22h00 - Sala Principal
*Lis-Nave*
espectáculo de música, Dj Set
Com a participação de Cool Hipnoise,
Júlio Resende 4teto, Nigga Poison,
Janelo da Costa, Pedro Castro,Adriana Miki,
Gabriel Gomes, Batoto Yetu e Sp&Wilson,
entre outros.

23h00 - Jardim de Inverno
*Festa Intercultural*
música, histórias e dança ao vivo
Ângelo Torres (S. Tomé)
Dmitry Bogomolov e Aleksei (Russia)
Yuki Rodrigues (Japão)
Khumbuka – grupo Marrabenta
(Moçambique)
Roda de Choro (Brasil)
Vozes d'África, batuque (Cabo Verde,
Santiago)
Roksolánia (Ucrânia)
Sankofa (Cabo Verde)
Faith Gospell Choir (Portugal/África)
Francisco Montoya e Zé Pato, música
cigana (Portugal)
Tucanas (Portugal)

Sabores do Mundo
no São Luiz Café
Menu Lisboa Mistura

 

P.S: este evento teve apoio da Câmara Municipal de Lisboa pelo segundo ano consecutivo


publicado por kumbaya às 14:11
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quarta-feira, 19 de Dezembro de 2007

Bob Marley

Quando falamos em reggae é nos feita de imediato a associação a um nome: Bob Marley.

Bob Marley é um dos nomes mais soantes da música reggae, não só pela postura que tinha perante a vida e o modo de como esta deveria ser vivida, mas também, devido às letras das suas músicas e as interpretações que fazia delas.

Se falamos de música juvenil e da forma como ela influência os jovens que a ouvem, temos de falar obrigatoriamente de Bob Marley.

Bob Marley nasceu a 6 de Fevereiro de 1945 e morreu a 11 de Maio de 1981. A sua morte foi apenas física, pois nos dias que correm continuam-se a vender milhões de álbuns com as suas músicas e os jovens continuam “apaixonados” por elas. Mas Bob Marley não nos deixou apenas as suas músicas… os seus filhos continuam o legado de seu pai.

A rasta é uma das marcas, não só dos cantores como também dos que têm um reggae como filosofia de vida. Ainda hoje encontramos bastantes jovens seguidores deste modo de vestir e de estar perante a vida.

Bob Marley é a marca do passado bem presente no nosso dia-a-dia

 

 

 

Esta diversidade cultural também faz parte do nosso “pequenino” Portugal.

    No woman No Cry 

publicado por kumbaya às 15:34
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 18 de Dezembro de 2007

Será bOm reFerir qUe..

No passado dia 14 de Dezembro, pelas 08:15 horas, seguido do toque, encaminhamo-nos para a sala C3 para sabermos o resultado do esforço feito no 1º Periodo.

Podem-se questionar pelo facto de termos sublinhado a palavra esforço, mas, desde já, começamos por esclarecer: algumas das críticas feitas pelo nosso professor residiam no facto de este achar que o nosso grupo era o que menos se tinha empenhado, o que mais disperso andava durante as aulas, logo o que menos trabalhou durante o periodo.

Aceitamos a crítica, mas não compreendemos que tenhamos tido menor nota nas entrevistas. Os outros grupos tinham apenas planeado fazer uma entrevista; nós fomos mais além e decidimos tentar fazer 4. Fomos penalizados por termos feito só uma, tendo um 10/11 como nota; os outros grupos, tal como nós, só fizeram uma entrevista e tiveram cerca de 14/15. O professor usou como argumento não termos conseguido fazer o que estava planeado, mas nós estamos dependentes dos entrevistados, do dia, da hora, da disposição que têm para nos receber. Daí que não possamos obrigar as entidades a responderem às nossas questões quando e como queremos.

A fundamentação dos posts é muito importante e nós sabemô-lo. Contudo, quando olhamos para a letra de uma música não necessitamos de fazer (mais uma vez) esforço para a compreendermos, neste caso em concreto as letras de música expostas são suficientemente explicitas, não necessitando que a elas juntemos uma justificação.

Por último, mas não deixando de ser importante, é de referir que a comparação entre grupos feita pelo professor, com o intuito de nos motivar, não tem sido a melhor aposta, pois, muitas vezes, parece-nos excessiva e depreciativa do nosso trabalho.

 

publicado por kumbaya às 13:23
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Sábado, 8 de Dezembro de 2007

**bom natal**

Carta ao Pai Natal

...Ao idoso sozinho em casa, arranja-lhe boa companhia
  Já sei que só ofereces aos meninos bem comportados
  Mas alguns portam-se mal e dás condomínios fechados
  Jactos privados, carros topo de gama importados
  Grandes ordenados, apagas pecados a culpados
  Desculpa o pouco entusiasmo, não me leves a mal
  Não percebo como é que isto se tornou um feriado comercial
  Parece que é desculpa para um ano de costas voltadas
  E a única coisa que interessa é se as prendas estão compradas
  E quando passa o Natal, dás a sola?
  Há quem diga que tu não existes, quem te inventou foi a Coca-Cola
  Não te preocupes que eu não digo a ninguém
  Se és Pai Natal deves ser pai de alguém
  Para mim Natal é a qualquer hora, basta querer
  Gosto de dar e não preciso de pretextos para oferecer
  E já agora para acabar, sem querer abusar
  Dá-nos Paz e Amor e nem é preciso embrulhar
  Muita felicidade, saúde acima de tudo
  Se puderes dá-nos boas notas com pouco estudo
  Desculpa o incómodo e continua com as tuas prendas
  Feliz Natal para ti e já agora baixa as rendas.

Boss AC, "Carta Para O Pai Natal" (CD "Ritmo, Amor e Palavras")

BoM NaTal!!

A letra da música "Carta ao Pai natal" é um dos melhores exemplos que conseguimos encontrar. Aqui, e como na maioria das músicas, as letras são feitas com um objectivo... uma prova de amor, o inicio de uma revolta ou mesmo de critica à sociedade.

Esta letra integra-se na totalidade na época festiva que atravessamos. Quando nos referimos ao natal faz-se a associação imediata de prendas...esta letra reflecte a sociedade materialista da qual todos nós fazemos parte e para a qual todos nós damos um contributo. E quem mais, para poder passar esta mensagem se não Boss Ac, um dos maiores e mais conceituados rappers  da actualidade portuguesa, com uma participação na conhecida música "I wanna love" de Akon.

publicado por kumbaya às 09:56
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Sexta-feira, 7 de Dezembro de 2007

Resultados de algumas entrevistas...

 

Entrevista ao Dj Bu5a...

1.Que significa a música para ti, como defines?
"Música é cultura, cada povo tem a sua e com a cada vez mais acentuada Globalização nota-se uma fusão de vários estilos musicais, trazendo até nós artistas como os BurakaSom Sistema que há uns anos tal projecto era impensável. A música é algo indispensável para a nossa vida e, à semelhança da nossa sociedade, também a música vai evoluindo e transformando-se."
2.Porquê o interesse em ser DJ?
"A música sempre me despertou algum interesse, desde muito pequeno que tentava misturar músicas com aqueles leitores duplos antigos dos nossos pais. Com o avançar do tempo conheci esta arte que me despertou imenso interesse, pois podia transmitir através das colunas aquilo que sentia e proporcionar às outras pessoas momentos únicos de alegria e euforia."
3.Que tipo de música tocas/passas?
"Dentro do House, toco um pouco de tudo. No entanto, foco-me mais em Afro e Funky, House mais rítmico, que dê para pôr o party people a dançar. Também sou um grande apreciador do novo estilo de Kuduro, o chamado “Kuduro Progressivo”, juntando percussão africana com elementos electrónicos."
4.Que instrumentos usas?
"Não sei se o que uso se pode considerar instrumentos, mas para as actuações utilizo leitores de CDs, Gira-Discos, mesa de mistura e processadores de efeitos."
5.Em que tipo de bares/discotecas tocas?
"Houseclubs, bares, onde quer que haja trabalho."
6.Como conseguiste a ascensão assim tão rapidamente?
"Não sei como responder a esta pergunta, pois acho que essa “ascensão” ou qualquer outra é relativa, eu tento ter sempre os pés no chão, isto é, tenho consciência que há muita gente por esse mundo fora muito melhor que eu e só com muito esforço chegarei onde grandes artistas deste mundo como Erick Morillo, Roger Sanchez, entre outros chegaram. No entanto, já começo a notar algum interessa em acompanhar o meu percurso por parte de algumas pessoas, o que me deixa, obviamente, muito satisfeito e me motiva a continuar. "
 
7.Tiveste algum tipo de apoio?
"Tive de ter, isto sozinho não se vai a lado nenhum. Vários DJ’s que andam nisto há mais tempo, dando sempre ideias para divulgação e até dando oportunidades de mostrar o que sei fazer atrás duma cabine. Também dos meus amigos que se deslocaram a sítios como Santa Cruz para me ouvir. Dos meus pais que ao principio odiaram a ideia mas que, neste momento, me apoiam imenso e, claro, de todos os apreciadores da minha Hou5e Mu5ic!"
8.Em que medida a música que passas influencia o comportamento dos jovens?
"Acho que boa música nunca fez mal a ninguém, especialmente a animada como é o caso da minha. Dançar é algo anti-stress e libertador, na pista de dança as pessoas soltam-se mais, sentem-se livres, acho isso muito positivo pois serve para fugir à rotina diária que como todos sabemos é muito desgastante."
9.Na tua opinião, em que medida este nosso projecto poderá contribuir para a reflexão sobre o futuro das cidades portuguesas (cidades mais criativas)?
"Sinceramente, estou um bocado desapontado com o estado do nosso país. Espero que este projecto sirva como um abrir de olhos para mentes fechadas e antiquadas que são estas que nos governam para apostarem mais em eventos musicais inovadores e em novos artistas, não se esquecendo, claro, dos que andam neste mundo há mais tempo."
10. Se possível, faz-nos uma sugestão para o nosso projecto.
"Que tal umas festas? Divertidas e libertadoras..."
A opção pela integração das respostas no seu todo dá-se para uma melhor compreensão do tema e da critica que elas revelam, caso contrário, as respostas não teriam o efeito desejado.
publicado por kumbaya às 20:41
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 6 de Dezembro de 2007

Avaliação Final

Ao longo do tempo pode-se observar, na nossa perspectiva, uma evolução tanto no conteúdo como na apresentação do blog. Contudo nós temos consciência plena de que a aplicação neste projecto não tem sido total por motivos diversos, sendo esta a auto-critica que fazemos.

 A nível do conteúdo e dos planos que tínhamos para este primeiro período de avaliação ficaram algumas entrevistas por desenvolver (mais precisamente às entidades locais Juntas de Freguesia) devido à incompatibilidade de horários.

A avaliação que podemos fazer é que até ao momento este projecto tem nos dado imenso gozo. Através das pesquisas conseguimos compreender melhor o porquê da atribuição de determinados nomes aos vários estilos musicais.

Esperamos que desfrutem da informação que até agora vos podemos fornecer.

Projectos futuros...

  • Conclusão das entrevistas
  • Preparação dos inquéritos
  • conclusão da pesquisa intensiva
publicado por kumbaya às 15:43
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Segunda-feira, 3 de Dezembro de 2007

Um bom exemplo da cultura juvenil urbana...

 

H2T Hip Hop Tuga

 

 

  Um bom exemplo da cultura juvenil urbana...

  • Breakdance
  • Graffiti
  • Mc/Dj
  • Downloads
  • Reportagens
  • Fotos
  • Livros
  • Poesia
  • Rádio / Jukebox
  •  Recortes de Imprensa
  • Passatempos
  • Forúm

... podes encontrar os itens mais desenvolvidos no site acima exposto.

 

 Através deste site poderemos afirmar que este é um dos melhores exmplos da boa aplicação que se pode dar aos novos ritmos urbanos, neste caso focando essencialmente o hip hop como fonte de transmição de sentimentos, de critica à sociedade apontando os seus "podres". Pode-se afirmar tambem que esta é uma subcultura em ascenção e de grande aprovação entre os jovens.

 O festival de HipHop de Oeiras é dos mais antigos eventos do género a serem realizados em Portugal, este festival integra não só concertos músicais como também todas as actividaes subjancentes a esta "cultura". Este evento revela-se bastante interessante tendo em conta que é um dos meios de se dinamizar a cidade sendo esse um

dos nossos objectivos.

 

Eu não entendo o curso que isto está a tomar
  Eu não entendo o que se está a passar
  Eu não percebo a razão que te leva a matar
  Mas não critico o motivo que te leva a roubar
  É um país de ladrões e corruptos
  Gananciosos, agarrados e astutos
  Que já te deram a volta à cabeça
  E hoje estás aí, chorando de tristeza
  O rico mais forte é quase sempre absolvido
  O pobre do jovem nunca é ouvido
  O homem mais pobre é sempre o detido
  A cor mais escura é quase sempre o perigo
  O ordenado, menos que isto é troça
  Mínimo? Mínimo? Quase não se nota…
  Escola para quê? Estágio, só na obra
  Dá-lhe só no duro e vais ver que já sobra
  Talentos escondidos atrás de barracas
  Armados com drogas, pistolas e facas
  Polícias que matam jovens inocentes
  Marados que matam polícias parentes
  Polícias que batem no puto perturbado
  E não procuram entender a razão do seu estado
  Jovens que roubam o pouco ordenado
  Contado, e que já estava destinado
  O sistema atrasado, maluco, passado
  O pobre do povo vivendo enganado
  Roubado, gingado, com raiva do estado
  Vontade eu tenho que suba o ordenado
  Justiça da treta a que estou submetido
  Quem fala a verdade não merece castigo
  Quem fala é o dinheiro, primeiro amigo
  Represento o meu povo e enfrento o perigo
  A culpa é dos pais e nunca é do filho
  Pois é de pequenino que se torce o pepino
  Educaram o povo à sua maneira
  Agora queixam-se. Quem é que fez asneira?
  A corda rebenta sempre do lado mais fraco 
  “Cá se faz, cá se paga”. É um facto
  Vivemos atrás de coisinhas mesquinhas
  Fofocas de merdas e guerras de vizinhas
  Em vez de unirmos a mão (porque não?)
  Já que cá estou faço parte da tua nação
  Um dia se eu fosse alguém
  Português eu seria, e nunca um Zé-ninguém

Tens que morrer para te darem valor
  Tens que sofrer para saberes o que é o amor
  Tens de humilhar para alguém te ajudar
  Neste país só te sabem enterrar
  Vives e morres da mesma maneira
  Sonhas com carros em vez da betoneira
  Vives dos sonhos que a mente produz
  Vives sonhando que encontrarás a luz
  Vives cercado de falsos amigos
  Vives cercado de grandes perigos
  Vives e vives e tens que viver
  Porque não tens onde morrer
  Recebes com uma mão e pagas com outra
  O dinheiro não gosta de ficar no bolso
  Meios não tens e o bolso está roto
  O teu filho tem fome, mas o dinheiro está pouco
  Que vais tu fazer para ele parar de chorar?
  Roubar, traficar, enganar ou matar
  Que vais tu fazer se quiseres ser alguém?
  Roubar como faz o sistema também
  Não me digas que a droga é cá fabricada
  Não me digas que as armas crescem em casa
  Terrorista é o sistema que nos engana
  Vivo na cidade do bacano Santana
  Concelho de Oeiras, de apelido Morais
  Tirou-nos a casa que fizeram os meus pais
  Trabalham no duro e não têm nada
  Se não pagam a renda ainda lhes tiram a casa
  Ainda querem bom comportamento
  Que o preto seja pouco violento
  Que o filho do preto ajude o país
  Sem livros para a escola e papel para o nariz
  Mostram imagens de putos com fome
  Sem roupa, sem vida, e quase sem nome
  São merdas que mostram para nos lembrar
  Que estamos aqui só para trabalhar
  Sei que não é motivo para o que se está a passar
  Sei que alguns de nós já estão a abusar
  Pretos com pretos, brancos com brancos

E os ricos observam,sentados nos bancos

  E os ricos observam, sentados nos bancos

SS, "Sistema" (CD "Escuta Só")

 

Esta letra de música dos "SS - Sistema" foi aqui postada para fortalecer a nossa opinião sobre a influência da música juvenil na nossa sociedade.

Se outrora os jovens eram um exemplo de irresponsabilidade, na nossa humilde opinião, nos dias de hoje os jovens são dos únicos, se não o único grupo social que transmite aquilo que realmente sente, aquilo "que lhe vai na alma". Será pela fase de rebeldia pela qual estão a passar? ... pode ser uma hipótese.

O que está à vista e se realça, é que o hip-hop, no caso desta música, permite fazer críticas e apreciações que,  se não fosse em verso, não apontaríamos. Nesta letra, o que se saliente é o fosso enorme que existe entre as classes baixas e as classes altas. Hoje em dia é uma realidade bem visível em Portugal.

Outro dos pontos relevantes da letra é o poder “corrosivo”, se não corruptor, do dinheiro nas nossas vidas. Mais uma vez, é sublinhado que, para chegarmos a uma sociedade igualitária, é necessário que todos contribuam, sendo imprescindível que o exemplo venham daqueles que têm o poder nas suas mãos.

 

 
publicado por kumbaya às 10:40
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito

Guião de Entrevistas

Esta entrevista está relacionada com o nosso trabalho de Área de Projecto, da Escola Secundária de Caneças.Tem como finalidade conhecer as actividades relacionadas com a música junevil em Caneças e Casal de Cambra.
 
“Cidade FM”:
 
  1. Há quanto tempo é que trabalhas na rádio?
  2. Qual o teu horário de funcionamento?
  3. Qual a música que passa mais na “Cidade FM”?
  4. Como poderemos caracterizar essas músicas?
  5. O estilo de música diferencia (na “Cidade FM”) entre o horário da manhã e o horário da noite?
  6. A música que passa na “Cidade FM”, nomeadamente a que o Miguel Simões passa é estipulada por alguém? Se sim, quem?
  7. De que modo é que a música que passas influencia a população mais jovem?
  8. Desde que trabalhas na rádio o quê é que sentes que mudou na tua vida?
  9. Será possível associar os diferentes tipos de música que passam na “Cidade FM” com diferentes zonas urbanas?
  10. Na tua opinião, de que forma pode, o nosso projecto, contribuir para a reflexão sobre o futuro das cidades portuguesas?
  11. Faz-nos, se possível ,um sugestão para o nosso projecto.

Junta de Caneças e de Casal de Cambra:
 
Esta entrevista está relacionada com o nosso trabalho de Área de Projecto, da Escola Secundária de Caneças.Tem como finalidade conhecer as actividades relacionadas com a música junevil em Caneças e Casal de Cambra.
 
  1. Indique-nos as actividades relacionadas com a “música juvenil” que conhece em Caneças/ Casal de Cambra (festivais, grupos musicais, dança, …)
  2. Que associações existem ligadas a estas actividades?
  3. Que tipo de pessoas desenvolvem essas actividades?
  4. São apoiadas por quem?
  5. Qual o tipo de apoios?
  6. Que tipo de eventos costumam realizar?
  7. Qual a sua opinião acerca do papel destas actividades para os jovens?
  8.  Conhece algum/alguns, caso/casos concretos de jovens que, graças à música tenham orientado o seu percurso de vida?
  9. Que projectos é que conhece para o futuro?
  10. Está disposto a apoiar projectos nesta área? Que tipos de projecto é que mais facilmente apoiaria?
  11. Será possível estabelecer uma relação entre diferentes estilos de música e diferentes bairros de Caneças/Casal de Cambra?
  12. Na sua opinião, em que medida este nosso projecto poderá contribuir para a reflexão sobre o futuro das cidades portuguesas (cidades mais criativas)?
  13. Se possível faça-nos uma sugestão para o nosso projecto.

Esta entrevista está relacionada com o nosso trabalho  de Área de Projecto, da Escola Secundária de Caneças, tem como finalidade conhecer as actividades relacionadas com a música junevil e dirige-se a alguns DJ's daqui da zona.

  1. Que significa a música para ti, como defines?
  2. Porquê o interesse em ser DJ?
  3. Que tipo de música tocas/passas?
  4. Que instrumentos usas?
  5. Em que tipo de bares/discotecas tocas?
  6. Como conseguiste a ascenção assim tão rapidamente?
  7. Tiveste algum tipo de apoio?
  8. Em que medida a música que passas influencia o comportamento dos jovens?
  9. Será possível estabelecer uma relação entre diferentes estilos de música e diferentes bairros de Caneças/Casal de Cambra?
  10. Na tua opinião, em que medida este nosso projecto poderá contribuir para a reflexão sobre o futuro das cidades portuguesas (cidades mais criativas)?
  11. Se possível faz-nos uma sugestão para o nosso projecto.
publicado por kumbaya às 10:19
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

.posts recentes

. Entrevista feita ao DJ Da...

. Muito trabalhinho..

. Balanço do 2º Período

. Relatório das apresentaçõ...

. Entrevista ao Presidente ...

. Cartazes em destaque

. Entrevista ao Presidente ...

. Estrutura do Inquérito

. Programa Nós

. Caracterização Sumária da...

. "Lisbon Experience"

. Informação..

. Festival Lisboa Mistura

. Bob Marley

. Será bOm reFerir qUe..

. **bom natal**

. Resultados de algumas ent...

. Avaliação Final

. Um bom exemplo da cultura...

. Guião de Entrevistas

. AlgunS ExempLos...dos noV...

. Bom exemplo

. ...Estilos Músicais...

. PonTo de SituaÇão

. Tarefas agendadas...

. SOLTA O SOM DJ...

. Tema escolhido...

. A questão reside...

.pesquisar

 

.Abril 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.links

.arquivos

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

.mais sobre mim

blogs SAPO

.subscrever feeds